Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Ultrassom pélvico: O que é e para que serve?

Ultrassom pélvico: O que é e para que serve?

Postado em: 10 de junho de 2020

Atualizado por danijardim em 10 de junho de 2020

A ultrassonografia é um exame de diagnóstico de imagem também chamado de ecografia ou simplesmente de ultrassom. Ele é um tipo de exame muito utilizado para visualizar em tempo real qualquer órgão ou tecido do corpo, sendo que quando realizado com Doppler, permite até observar o fluxo sanguíneo dessa região. Há vários tipos de ultrassonografia, […]

A ultrassonografia é um exame de diagnóstico de imagem também chamado de ecografia ou simplesmente de ultrassom. Ele é um tipo de exame muito utilizado para visualizar em tempo real qualquer órgão ou tecido do corpo, sendo que quando realizado com Doppler, permite até observar o fluxo sanguíneo dessa região. Há vários tipos de ultrassonografia, mas no caso do ultrassom pélvico, se observa os órgãos no interior da pelve, tanto em mulheres quanto em homens.

No caso das mulheres, os órgão observados são o útero, ovários e trompas, além das artérias e veias da região. A bexiga e a porçāo baixa do intestino também podem ser avaliados. Além disso, também pode ser realizada para acompanhar o desenvolvimento de uma gestação.

Os exames são pedidos por um ginecologista ou obstetra e realizados por um médico especializado na interpretação de imagens. Em geral, há duas técnicas utilizadas na observação dos órgãos da pelve: suprapúbica, em que o aparelho transdutor é colocado por cima da pele do abdomem baixo; e a transvaginal ou endovaginal, em que o aparelho é colocado dentro da vagina. 

Veja abaixo todas as informações necessárias para tirar suas dúvidas sobre os exames de ultrassonografia disponíveis, incluindo a ultrassom pélvica. Confira! 

Para que serve a ultrassonografia

O ultrassom pévico é um exame de imagem para ver os órgãos internos da região.

O ultrassom pévico é um exame de imagem para ver os órgãos internos da região.

Como dissemos, a ultrassonografia é um exame de imagem baseado no uso de uma sonda de ultrassons: quando os órgãos da região observada refletem as ondas e o eco é traduzido em imagens por meio de uma tela. 

Esse exame é capaz de observar em tempo real vários órgãos internos e tecidos de diferentes regiões do corpo. Ele é muito importante para ajudar no diagnóstico ou confirmação de vários tipos de doenças ou problemas no organismo. Normalmente, esse tipo de exame é bastante indicado para:

  • Investigar uma dor abdominal, nos flancos ou nas costas;
  • Diagnosticar a gravidez ou avaliar o desenvolvimento do feto;
  • Diagnosticar doenças do útero, trompas e ovários;
  • Visualizar as estruturas dos músculos, articulações, tendões; 
  • Visualizar qualquer outra estrutura do corpo humano com problemas ou lesões.

Como é feito o exame de ultrassom?

O ultrassom pélvico é feito em laboratório ou consultório médico.

O ultrassom pélvico é feito em laboratório ou consultório médico.

Normalmente, os exames de ultrassom são feitos em um laboratório, clínica, consultório médico ou hospital, sempre sob indicação médica, podendo ser simplesmente um exame de rotina anual ou para auxiliar no diagnóstico ou tratamento de diversas doenças.

Ele é feito com o paciente despido e deitado em uma cama, enquanto o especialista aplica uma fina camada de gel sobre a pele da região a ser observada e desliza o aparelho transdutor por cima do gel, percorrendo toda a região. 

Esse aparelho vai transmitindo imagens para uma tela de computador, que vão sendo gravadas e depois imprimidas para serem analisadas pelo médico.

Ao terminar o exame, o gel é retirado com um papel toalha e o paciente está pronto para ir para casa. O exame é indolor e não causa grandes desconfortos, nem demora. Além disso, é bastante acessível, inclusive em termos de custo, além de ser normalmente coberto por vários planos de saúde, embora também possa ser realizado pelo SUS. 

Como é o preparo do paciente?

Geralmente, antes do exame o paciente deve ser preparado, dependendo da técnica utilizada. Como por exemplo, na técnica suprapúbica, o paciente deve tomar cerca de 4 a 6 copos de água 1 hora antes do exame, para que a bexiga cheia desloque os intestinos, facilitando o alcance dessa área pelas ondas ultrassônicas.

Já para a técnica transvaginal, dependendo do histórico da paciente, o médico poderá ou não recomendar o preparo. Essa técnica não pode ser usada em pacientes que nunca tiveram relação sexual.

Qual a duração do exame?

A duração total do exame pode variar de acordo com a técnica utilizada e os órgãos a serem examinados. No entanto, costuma durar, em média, entre 20 e 40 minutos, as vezes 1 hora. Sendo que após o exame, o radiologista ou o médico, envia o relatório diretamente ao médico assistente. E o paciente já pode esvaziar a bexiga.

Lembrando que o exame não provoca nenhuma dor, às vezes um pequeno desconforto na região por conta da bexiga cheia.

Principais tipos de ultrassonografia

Há vários tipos de ultrassom pélvico.

Há vários tipos de ultrassom pélvico.

Dependendo da área a ser investigada e do tipo de diagnóstico que precisa ser feito, existem vários tipos de exames de ultrassom. Veja quais são eles abaixo: 

Ultrassonografia morfológica

Este é um tipo de ultrassonografia especialmente realizada durante a gravidez, entre as 20a e 24a semanas de gestação, para acompanhar o desenvolvimento do bebê e verificar se ele está crescendo de acordo com o esperado ou se ele apresenta alguma malformação. 

É um exame específico para diagnosticar anomalias como a Síndrome de Down, mielomeningocele, anencefalia, hidrocefalia ou cardiopatias congênitas. O exame é feito por cima da barriga da gestante, passando por toda a região uterina e não demora mais que 20 a 40 minutos.

Ultrassonografia obstétrica 3D e 4D

Essa ultrassonografia permite uma melhor visualização da estrutura observada, conferindo um aspecto mais real em 3D ou 4D. Ela permite a observação do bebê ainda dentro do útero da mãe, conseguindo captar seus movimentos em tempo real e até visualizar traços na aparência, como formato do rosto, nariz, movimento das mãos, etc.

Normalmente, são mais indicadas para a visualização do feto a partir do 3º mês de gestação, sendo que as melhores imagens são obtidas a partir do 6º mês de gravidez.

Ultrassonografia da mama

O ultrassom da mama é feito para observar possíveis anomalias na região, como a aparência de um nódulo sentido na palpação da mama. O exame ajuda no diagnóstico de nódulos benignos, suspeitos ou câncer de mama.

Ele também é útil para avaliar os ductos mamários e investigar as causas de dor na mama, por exemplo. O exame é feito em toda a região das mamas, incluindo abaixo das axilas. Ele é um exame complementar à mamografia, geralmente feito em mulheres mais jovens, que possuem mamas grandes e ainda firmes, o que dificulta a realização da mamografia. 

Normalmente, ele costuma demorar mais tempo quando há cistos ou nódulos que precisam ser investigados.

Ultrassonografia da tireoide

O ultrassom da tireoide é feito para observar essa glândula, alguma deformação no seu tamanho, formato ou se possui algum nódulo. Nesse sentido, o exame pode ainda ser realizado para complementar o diagnóstico de uma biópsia, em que se retira uma pequena amostra do tecido, em casos de suspeita de câncer, por exemplo.

Durante o exame, o paciente permanece deitado de barriga para cima e o aparelho percorre toda a região do pescoço. No caso de exames anteriores, o médico compara alguma alteração nos resultados. 

Ultrassonografia abdominal

O ultrassom abdominal é feito para investigar imagens dos órgãos abdominais e retroabdominais, tais como fígado, vesícula, rins, suprarrenais, pâncreas, baço etc.

Geralmente é indicado para exames de rotina ou em caso de dores na região do abdômen, na existência de retenção de líquidos na região ou avaliar órgãos como o fígado, rins, a presença de massas.

Além disso, é útil também em caso de avaliação dos rins e as vias urinárias ou em caso de traumatismo ou pancada na região da barriga, por exemplo. Normalmente, é preciso fazer algum tipo de preparo antes, como no caso de avaliação dos rins, das vias urinárias e da própria bexiga, que se faz jejum de 6 horas antes do exame, além de precisar ser realizado com a bexiga cheia.

Ultrassom pélvico

Como todos os outros exames de ultrassom, a ultrassonografia pélvica também baseia-se do diagnóstico de imagens refletidas pelo ultrassom. 

Nas mulheres, o ultrassom pélvico essencialmente examina os órgãos genitais internos femininos, como o útero, ovários, tubas uterinas e a bexiga. Já nos homens, o exame avalia principalmente a próstata e a bexiga.

Para que serve o ultrassom pélvico?

O ultrassom pélvico é utilizado par ao diagnóstico de doenças ou anomalias nos órgãos dessa região.

O ultrassom pélvico é utilizado par ao diagnóstico de doenças ou anomalias nos órgãos dessa região.

O ultrassom pélvico é frequentemente usado no diagnóstico de sintomas como distúrbio do trato urogenital, em que apresenta-se sangramento fora da menstruação e dor pélvica. Ele também é utilizado na avaliação de infertilidade em mulheres, controlar a ovulação em mulheres que querem engravidar ou que estão fazendo tratamento de infertilidade, durante certos procedimentos cirúrgicos ou acompanhar a evolução de uma patologia.

No caso de exame de rotina, ele é indicado para visualizar estruturas como útero, ovários e vasos sanguíneos desta região, podendo até diagnosticar endometriose, por exemplo. Em todo o caso, o exame pode ser realizado de suas formas: colocando o transdutor na parte superior da barriga (técnica suprapúbica) ou dentro da vagina (ultrassonografia transvaginal). 

Existem riscos à saúde?

Os ultrassons emitido pela ultrassonografia não apresenta nenhum perigo para a saúde, e devem ser realizados anualmente, principalmente o ultrassom pélvico e das mamas. 

Portanto, pelo contrário, os exames de ultrassom apresentam riscos quando não são realizados, sejam na forma de exames de rotina ou na suspeita de distúrbios ou presença de sintomas.

O ultrassom pélvico, por exemplo, pode revelar muitos distúrbios, sendo alguns benignos como a presença de cistos ovarianos sem gravidade ou mais graves. Ele é muito útil para ajudar a explicar problemas de infertilidade como malformação uterina, obstrução das tubas uterinas, etc.

Da mesma forma, a ultrassonografia pélvica também pode detectar a presença de massas anormais, como tumores benignos ou malignos. Geralmente nesses casos, uma amostra é retirada para ser analisada em laboratório para ter 100% do diagnóstico de câncer (câncer de próstata, câncer do colo do útero). Existem muitas doenças que podem ser diagnosticadas pelo ultrassom pélvico, por exemplo:

  • Prolapso uterino;
  • Incontinência urinária;
  • Miomas uterinos (tumores benignos) e tumores pélvicos;
  • Câncer de colo de útero;
  • Cistos no ovário;
  • Pólipos uterinos: pequenos tumores desenvolvidos na parede do útero que podem causar sangramento vaginal fora do período menstrual;
  • Sangramento anormal do útero;
  • Endometriose: doença inflamatória causada por células do endométrio (camada interna do útero) que migram para outros locais, onde se multiplicam e provocam uma série de sintomas, como sangramento excessivo;
  • Gravidez ectópica: gestação que ocorre fora do útero;
  • Problemas menstruais;
  • Alguns tipos de infertilidade.