Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Quanto Tempo Demora para Produzir Sêmen entre Outras Curiosidades

Quanto Tempo Demora para Produzir Sêmen entre Outras Curiosidades

Postado em: 22 de julho de 2020

Atualizado por danijardim em 22 de julho de 2020

Corrigido por Luciana Semião – Embriologista LabFIV. Há muitos mistérios que ainda envolvem a reprodução humana, da mesma forma que existem muitos mitos e curiosidades sobre o sêmen. Como por exemplo, quanto tempo demora para produzir sêmen ou como ele é produzido, a quantidade certa, o que pode influenciar na qualidade, entre outras dúvidas. Embora […]

Corrigido por Luciana Semião – Embriologista LabFIV. Há muitos mistérios que ainda envolvem a reprodução humana, da mesma forma que existem muitos mitos e curiosidades sobre o sêmen. Como por exemplo, quanto tempo demora para produzir sêmen ou como ele é produzido, a quantidade certa, o que pode influenciar na qualidade, entre outras dúvidas.

Embora muito se avançou desde o início do século nas pesquisas nesse campo da sexualidade, ainda há muito a ser descoberto sobre o sêmen e espermatozóides, inclusive no que diz respeito à produção de contraceptivos masculinos eficientes.

Mas o mais importante é esclarecer todas as dúvidas, pois as consequências da falta de informação podem ser gravíssimas para os indivíduos e toda uma sociedade. Para se ter ideia, por exemplo, cerca de 40% dos jovens brasileiros que tiveram suas primeiras relações sexuais em 2015 não fizeram o uso de preservativos, segundo dados divulgados pelo IBGE.

Isso pode ser desastroso, não só por conta de gravidezes sem planejamento, mas pela disseminação descontrolada de doenças sexualmente transmissíveis, pela simples falta de preparo ou informação à população mais jovem.

É difícil de acreditar que séculos se passaram e a sexualidade ainda seja um tabu e pouco se fala com clareza sobre o assunto. E não são apenas os jovens que possuem dúvidas, muitas delas acabam surgindo até mais tarde na vida, quando os casais começam a planejar suas famílias.

Muitos dos estudos dos espermatozoides avançaram após um pesquisador analisar o seu próprio esperma ejaculado; a partir daí muitas outras pesquisas foram realizadas, inclusive no campo de reprodução assistida. 

Hoje sabemos quando e como o sêmen começa a ser produzido, quanto tempo demora para produzir sêmen, que alimentos e roupas íntimas podem influenciar na capacidade reprodutiva masculina, entre muitas outras respostas à inúmeras dúvidas.

Vamos à todas elas abaixo!

Uma breve história sobre o esperma

espermatozóides

As primeiras pesquisas sobre sêmen datam do século 17 e 18.

Há algum tempo atrás, a revista online do Instituto Smithsonian, instituição educacional e de pesquisa associada a um complexo de museus, nos Estados Unidos, publicou uma série de pesquisas sobre esperma datadas dos séculos 17 e 18.

Na reportagem, a jornalista científica Laura Poppick explica as primeiras teorias sobre o sêmen. Foi graças ao microscópio, aparelho revolucionário já inventado na época, que os biólogos puderam investigar a composição do sêmen.

Esses primeiros pesquisadores desejavam responder à questões mais básicas, como por exemplo, se os espermatozóides eram seres vivos, parasitas ou se cada um já continha um pequeno ser humano adulto pré-formado em seu interior, entre outras curiosidades.

Segundo a matéria da jornalista, o primeiro cientista dedicado a estudar o sêmen foi o holandês Anton van Leeuwenhoek, hoje considerado o pai da microbiologia pelo seu trabalho pioneiro nesse campo.

No início, Van Leeuwenhoek usava o microscópio para analisar piolhos e amostras de água de lagos, em meados da década de 1670. Só depois, incentivado por amigos, passou a analisar os fluidos sexuais masculinos, embora tenha avançado muito pouco com medo que suas pesquisas pudessem ser taxadas de indecentes. 

Porém, não demorou muito para que ele cedesse à sua curiosidade e examinasse o seu produto próprio da ejaculação. O cientista não compartilhou suas descobertas com seus colegas, mas informou a Real Sociedade de Londres (principal instituição científica da Inglaterra) sobre suas pesquisas, que publicou o estudo logo no ano seguinte, em 1678, fazendo nascer um novo campo de estudo da biologia.

As demais teorias sobre a reprodução humana

Até aquele momento, haviam muitas teorias sobre a reprodução humana, por não saberem o que de fato constituía o sêmen. Chegou-se a pensar que as mulheres geravam os bebês estimuladas pelo vapor emitido pelo homem durante a ejaculação, enquanto outros acreditavam que os homens eram os responsáveis por fabricar os bebês e apenas os transferiam às fêmeas para incubação.

Mas mesmo após as descobertas de Van Leeuwenhoek, levamos aproximadamente 200 anos até que outros cientistas entrassem em consenso sobre como os seres humanos são formados.

Mas afinal, como são produzidos os espermatozoides?

esquema mostrando espermatozóides atingindo um óvulo

75 dias é quanto tempo demora para produzir sêmen.

Hoje sabemos que os espermatozoides são as células reprodutivas masculinas contidas no líquido seminal (sêmen). Eles são formados por uma cabeça e uma cauda (flagelo), semelhante a um girino, porém mais comprido, para conseguir se mover mais rapidamente. 

Mas é na cabeça que se encontra o núcleo com todo o material genético. Na verdade, existem dois tipos de espermatozóides, os que carregam o cromossomo X e os que carregam o cromossomo Y, responsáveis pelo sexo dos bebês, feminino ou masculino, respectivamente.

Portanto, é o homem quem define o sexo do bebê e não a mulher como se acreditava há muitos anos atrás. Mas os homens não nascem já com a capacidade de produzir sêmen, ela se inicia a partir da puberdade.

É neste período que os hormônios começam a ser liberados e que os testículos começam a produzir testosterona, para que comecem a produção de sêmen nos túbulos seminíferos, pequenos vasos dentro dos testículos. Depois disso, o homem continua essa produção ininterrupta pelo resto da vida, diferentemente das mulheres que já nascem com todos os óvulos formados. Portanto, se o homem tiver uma próstata saudável, ele vai continuar a produzir o líquido seminal e o espermatozoide por muitos anos.

Assim, mesmo na andropausa, ele pode não ter a mesma vitalidade, o mesmo número de espermatozóides ou a mesma capacidade, mas continua produzindo. Por exemplo, um homem saudável em idade reprodutiva normal, pode produzir entre 100 e 200 milhões de espermatozóides por dia, todos os dias.

E quanto tempo demora para produzir sêmen?

Chamamos de espermatogênese todo o processo de produção de espermatozoides, que costuma levar cerca de 70-74 dias. Portanto, espermatogênese é quanto tempo demora para produzir sêmen nos testículos.

O processo se inicia com células espermáticas imaturas que se desenvolvem, fazendo com que uma parte delas cheguem ao estágio de células espermáticas maduras, formando o que denominamos espermatozoides. 

Nesta etapa, as células maduras migram para o epidídimo, um tubo estreito situado na parte posterior do testículo, onde começam a amadurecer. Só após 18 a 24 horas ali dentro é que os espermatozóides ganham a capacidade de se locomover (motilidade). 

Quando aptos a se movimentarem, eles passam pelo ducto ou canal deferente até chegarem à vesícula seminal, onde ficam armazenados até o momento da ejaculação.

Portanto, se você quer saber quanto tempo demora para produzir sêmen, saiba que todo esse processo, desde a produção e amadurecimento nos testículos, pode durar um total de até 74 dias, mas a média habitual é de cerca de 9 semanas (63 dias).

Quantos espermatozoides são liberados a cada ejaculação?

quanto tempo demora para produzir sêmen

Cerca de 80 a 500 milhões de espermatozóides são liberados por ejaculação.

Especialistas estimam que o homem pode liberar de 80 a 500 milhões de espermatozóides por ejaculação. No entanto, durante o coito, apenas cerca de 300 conseguem passar pela vagina e alcançar o local da fecundação.

No entanto, dependendo do tempo de abstinência sexual, contando ejaculações durante a masturbação, o número de espermatozoides pode variar. Isso porque a quantidade de espermatozóides produzida pelos homens varia bastante. 

Em geral, os homens saudáveis podem produzir entre 2 ml e 5 ml de sêmen por ejaculação, sendo que cada mililitro pode conter de 20 milhões a 300 milhões de espermatozóides.

Isso significa que um homem fértil pode produzir entre 40 milhões e cerca de 1,5 bilhão de espermatozóides no total, embora a maioria produza entre 40 milhões e 60 milhões de espermatozoides por milímetro, ou seja, uma média de 80 a 300 milhões de espermatozoides por ejaculação.

No entanto, ao longo da vida, o volume de sêmen pode variar, por conta dos níveis hormonais e a idade. Além disso, muitos suplementos que contém testosterona exógena, como os anabolizantes, acabam inibindo a produção nos testículos por um período de pelo menos um ano, podendo até causar danos irreversíveis.

Quanto tempo os espermatozóides sobrevivem após a ejaculação?

Dentro da vagina ou do útero feminino, o espermatozoide pode sobreviver por até 72 horas, isto é, 3 dias. Já fora do corpo humano, podem morrer rápido, pois em ambientes inóspitos, sem nutrientes ou a temperatura ideal, não há como sobreviverem por muito tempo.

Por outro lado, quando armazenado em condições “ideais”, como em recipientes de coleta para exame de espermograma, por exemplo, podem durar de 2 até 6 horas, antes de serem congelados. Neste caso, quando congelados podem durar por ano, esperando o momento da fertilização.

Qual é o aspecto considerado “normal” do sêmen?

A cor “normal” do sêmen é de um “amarelo palha”, mas a sua coloração e viscosidade pode mudar, principalmente pela frequência da ejaculação ou por conta de alguns alimentos ingeridos. No entanto, isso é temporário.

Basicamente, o sêmen é constituído de proteínas, frutose e gorduras, mas que nada influenciam no organismo de quem o ingere. O gosto se deve principalmente ao pH e à quantidade de proteínas presente nele, sendo que nenhuma dieta pode alterar essa característica. Portanto, não existe um alimento capaz de mudar o gosto do esperma. 

Por outro lado, há estudos que afirmam que as oleaginosas (como amêndoas, avelãs ou nozes) podem ajudar a manter o sêmen saudável, melhorando a contagem e a motilidade dos espermatozóides.

Enquanto que a poluição, o tabagismo e os maus hábitos alimentares, podem contribuir para efeitos contrários, reduzindo a qualidade e contagem de espermatozoides.

Portanto, há muitas evidências de que uma dieta saudável rica em ácidos graxos, ômega-3, antioxidantes e ácido fólico contribuem para a fertilidade, podendo aumentar as chances de um casal engravidar, 

Além disso, a qualidade de seus espermatozoides também pode ser influenciada negativamente pelo uso de roupas íntimas apertadas. Isso porque a temperatura nas genitais deve ser ideal para a produção de esperma e o controle hormonal.

Por isso, a recomendação atual é usar cuecas do tipo boxers ou mais folgadas para não elevar a temperatura local e melhorar a contagem e a quantidade de espermatozoides saudáveis.