Icone informações
Quero agendar
uma consulta
Icone informações
Quero mais
informações
Sobre o que você deseja saber?
Preencha os dados abaixo, selecione o assunto de interesse e receba informações exclusivas!

Mioma Cresce a Barriga? Veja os Principais Sintomas e Tratamentos

Mioma Cresce a Barriga? Veja os Principais Sintomas e Tratamentos

Postado em: 21 de julho de 2020

Atualizado por danijardim em 22 de julho de 2020

O mioma uterino é uma espécie de tumor benigno que se desenvolve dentro ou fora das paredes do útero. É uma condição bem mais comum do que se imagina. Porém, na maioria dos casos, a mulher nem percebe que tem. No entanto, dependendo do local onde estiver alojado e do seu tamanho, ele pode provocar […]

O mioma uterino é uma espécie de tumor benigno que se desenvolve dentro ou fora das paredes do útero. É uma condição bem mais comum do que se imagina. Porém, na maioria dos casos, a mulher nem percebe que tem. No entanto, dependendo do local onde estiver alojado e do seu tamanho, ele pode provocar sintomas que variam desde aumento do fluxo menstrual até aumento do volume abdominal

Portanto, embora sejam em sua maioria assintomáticos, os miomas uterinos podem causar diversos sintomas, que irão variar de acordo com o seu tamanho, quantidade e localização no útero. 

Em geral, apenas 30% das mulheres com miomas apresentam sintomas, sendo que outras 70% não sentem absolutamente nada. Por isso, normalmente são descobertos apenas durante os exames de rotina.

Os sintomas mais frequentes são sangramentos intensos que podem ou não estar associados a dor tipo cólica usualmente no período menstrual mas também podem ocorrer fora da menstruação. Quando adquirem grandes dimensões, os miomas podem fazer a barriga crescer também, além de outras consequências.

Por ser um tumor benigno, o mioma não costuma ser um risco à saúde da mulher, e seus sintomas podem ser controlados através de tratamentos não só cirúrgicos, mas também medicamentosos.

Saiba mais sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas abaixo!

O que é Mioma e suas causas

mioma cresce a barriga

Miomas uterinos são tumores benignos nas paredes do útero.

Os miomas uterinos são tumores benignos que se formam no tecido muscular das paredes do útero. Por isso, também são chamados de fibromas ou leiomiomas uterinos, podendo variar na localização no útero, assim como em seu tamanho e quantidade.

Embora sejam pequenos tumores, eles são muito comuns, principalmente na idade fértil da mulher, entre 30 e 40 anos, regredindo após a menopausa. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Saúde, 7% das mulheres tiveram diagnóstico de mioma no Brasil, todas em idade entre 15 e 49 anos. 

Apesar de benigno com baixo risco de malignidade e presente em 40 a 80% das mulheres, apenas 20% das mulheres diagnosticadas com miomas apresentam sintomas e precisam de algum tratamento.

Não há ainda uma explicação para o seu surgimento, mas alguns estudos apontam causas relacionadas aos desequilíbrios em hormônios sexuais, como a progesterona e o estrogênio além de predisposição genética. 

O seu surgimento pode ter relação também com a multiplicação desordenada de algumas células do tecido muscular que formam o útero. Por isso a sua maior incidência entre mulheres na idade fértil.

Outra especulação dos especialistas é a propensão em mulheres negras de duas a três vezes mais comum, embora não se saiba a razão. Além disso, as chances de surgirem miomas aumentam em mulheres que ainda não engravidaram, obesas, além de histórico da doença na família.

Principais tipos de miomas e sintomas

mioma cresce a barriga

Há vários tipos de miomas.

Na maior parte dos casos, as mulheres não apresentam sintomas na presença de miomas uterino.

Quando assintomáticos, normalmente são descobertos apenas durante exames ginecológicos de rotina. Porém, os sintomas poderão surgir variando de acordo com o tipo, quantidade e tamanho do mioma e localização, dentre os principais podemos citar:

  • Aumento do fluxo sanguíneo e da duração do período menstrual;
  • Sangramentos fora do período menstrual;
  • Cólicas ou dores abdominais;
  • Aumento do volume do útero e região abdominal;
  • Sensação de pressão na barriga;
  • Sintomas de prisão de ventre;
  • Vontade de urinar frequente ou incontinência urinária;
  • Dores durante as relações sexuais;
  • Dificuldade para engravidar.

Além disso, os sintomas dos miomas podem variar de acordo com o seu tipo classificados de acordo com a sua localização no útero, como abaixo:

  • Miomas Subserosos: surgem na parte mais externa do útero,geralmente não provocam sintomas mas raramente podem se tornar volumosos e empurrar os órgãos ao redor, causando vontade de urinar, diarreia ou prisão de ventre. Quando pendurados para fora do útero, são chamados de miomas pediculados;
  • Miomas Intramurais: se localizam dentro da parede do útero, podendo causar dores abdominais, cólicas e dores durante o contato íntimo;
  • Miomas Submucosos: surgem na parte interna do útero, dentro da cavidade uterina, geralmente provocam sintomas como sangramento intenso e cólicas e podem estar associados a dificuldade para engravidar.

Mulheres que apresentam muitos miomas e volumosos podem ter os sintomas mais intensos, e neste caso podem até notar aumento do volume abdominal. 

Exames disponíveis para o seu diagnóstico

mioma cresce a barriga exames

Há alguns exames disponíveis para diagnosticar miomas.

O diagnóstico do mioma uterino é feito geralmente por um médico ginecologista através do exame clínico por meio do toque vaginal quando durante a palpação do abdômen pode sentir o contorno do útero que pode apresentar irregularidade a aumento do seu volume.

Entretanto miomas não podem ser detectados no exame clínico e neste caso diante da suspeita clínica  se faz necessário a realização de exames de imagens sendo mais comum o ultrasson tranvaginal e ressonancia magnetica da pelve.

Além disso, em alguns casos ele também pode solicitar exames de imagem mais específicos, como histeroscopia, histerossonografia e histerossalpingografia, por exemplo, que avaliam melhor a cavidade uterina.

Miomas dificultam a gravidez?

Há um pequeno número de mulheres com miomas que podem apresentar dificuldade para engravidar, por conta de deformidades da parte interna do útero, além de alterações na circulação e inflamações. Nestes casos muitas vezes existe a necessidade de retirada cirúrgica dos miomas.

Além disso, quando a mulher com mioma deseja engravidar, mesmo não apresentando sintomas, ela deve procurar o seu médico para fazer um acompanhamento durante esse período antes e durante a gestação, pois o tumor pode trazer algumas complicações na gravidez, dependendo da sua localização.

No caso de mulheres grávidas os miomas podem estar associados ao maior risco de abortamento e partos prematuros. O importante é seguir as recomendações médicas e tentar ficar em repouso para não colocar em risco a saúde do bebê. 

Quando o mioma precisa de tratamento?

mioma cresce a barriga

Nem todo mioma requer tratamento.

Um dos procedimentos mais eficazes para acabar de vez com os miomas é a cirurgia de retirada do útero, mas nem sempre isso é uma opção, principalmente se a mulher ainda deseja ter filhos. 

Neste caso, outros tratamentos são indicados, mas há sempre o risco do mioma poder ou não voltar. 

De qualquer forma, os tratamentos são indicados apenas na presença de sintomas intensos de muita dor ou menstruação abundante e prolongada, além de casos de dificuldades para engravidar. 

Já o tipo de tratamento vai depender exclusivamente dos sintomas, do tamanho e do tipo de mioma no útero, sempre orientado pelo ginecologista. 

Na maioria dos casos, o tratamento é feito à base de medicamentos hormonais, como a pílula anticoncepcional, para impedir o seu crescimento e controlar o fluxo menstrual, porque sem o “abastecimento” de sangue, o crescimento do mioma é interrompido e ele pode até diminuir de volume. Em alguns casos podem ser usados medicamentos não hormonais com antiinflamatórios que diminuem a dor e fluxo de sangue durante a menstruação. 

Há casos em que são feitas embolizações das artérias uterinas. Neste caso o fluxo de sangue diminui o que pode ocasionar a diminuição do volume dos miomas e melhora dos sintomas. Este tipo de tratamento não é indicado para mulheres que estão com dificuldades para engravidar.  

Já em casos assintomáticos, recomenda-se apenas o acompanhamento com exames de rotina.

Afinal, mioma cresce a barriga?

É muito comum surgirem dúvidas se o mioma cresce a barriga. Quando os miomas atingem volumes muito grandes a mulher pode sim perceber um aumento do volume abdominal mas isto raramente acontece. Nesta situação o útero aumentado pode empurrar outros órgãos como a bexiga e o intestino e causar sintomas como aumento da frequência e dor para urinar e alteração do hábito intestinal. 

Neste tipo de situação o melhor tratamento é remoção cirúrgica dos miomas ou até a retirada do útero (histerectomia). 

Tratamento medicamentoso para mioma

mioma cresce a barriga

Existem possíveis tratamentos para miomas.

Dependendo do mioma e os sintomas apresentados, as medicações anticoncepcionais e hormonais podem ser usadas para controlar os sangramentos excessivos e cólicas menstruais. No entanto, elas podem não ser capazes de fazer o mioma diminuir, crescer ou desaparecer.

No caso de insucesso com o tratamento medicamentoso e os sintomas persistirem ou aumentarem, a cirurgia deverá ser considerada ou a embolização de artérias uterinas  como alternativa ao tratamento cirúrgico.

Em geral, os medicamentos para tratar os miomas têm como alvo os hormônios que regulam o ciclo menstrual e também prevenir o desenvolvimento de anemia.

Os principais remédios usados para o tratamento dos miomas são:

Agonistas do hormônio liberador de gonadotrofinas

Estes medicamentos inibem a produção dos hormônios que estimulam os ovários consequentemente  impedindo a mulher de menstruar, podem diminuir o tamanho dos miomas durante o seu tempo de uso.  No entanto, esses medicamento não devem ser usados por longos períodos.

Geralmente são prescritos para diminuir o tamanho dos miomas antes de realizar a cirurgia de remoção do mioma.

Dispositivo intrauterino liberador de progestagênios

O dispositivo intrauterino liberador de progestagênios ou DIU pode aliviar o sangramento intenso causado pelos miomas. No entanto, estes dispositivos apenas aliviam os sintoma e raramente  podem eliminar ou reduzir o tamanho dos miomas. Por outro lado, eles têm a vantagem de prevenir a gravidez, podendo ser usado como anticoncepcional.

Ácido tranexâmico

Este medicamento apenas reduz a quantidade de sangramento causado pelos miomas, sendo mais usado em casos de emergência.

Anticoncepcionais

O anticoncepcional é outro medicamento que embora muitas vezes não trate o mioma nem reduza o seu tamanho, pode ajudar a controlar o sangramento e evitar a gravidez por tabela.

Anti-inflamatórios não esteróides

Os anti-inflamatórios não esteróides, como ibuprofeno ou diclofenaco, por exemplo, são eficazes no alívio da dor causada pelas cólicas menstruais e podem também reduzir o sangramento.

Suplementos vitamínicos

Por conta do sangramento excessivo causado pela presença de miomas, a anemia se torna muito comum nessa situação. Assim, os suplementos vitamínicos que possuem como composição ferro e vitamina B12 podem ser necessários para manter a taxa sob controle, mas não são capazes de tratar nenhum outro sintoma.

Tratamento cirúrgico para remover miomas

A cirurgia para remover miomas é indicada quando os sintomas são muito intensos e não respondem ao tratamento medicamentoso, como por exemplo, forte dor abdominal, cólicas intensas e menstruação abundante e prolongada.

Mas é importante avaliar se a mulher ainda deseja engravidar porque a cirurgia pode dificultar uma gravidez futura. Em geral, o tratamento cirúrgico pode ser realizado de 3 formas diferentes:

  • Miomectomia Laparoscópica: através de pequenos furos na região abdominal, por onde passam uma microcâmera e os instrumentos necessários para a remoção do mioma, apenas utilizado em caso de mioma localizado na parede externa do útero (subserosos) ou miomas que estão dentro da musculatura(intramurais);
  • Miomectomia Abdominal: uma espécie de “cesárea” com um corte na região da pelve até ao útero;
  • Miomectomia Histeroscópica: procedimento realizado através da introdução de um histeroscópio pela vagina sem a necessidade de cortes, mas apenas recomendado no caso de mioma localizado dentro do útero (submucosos)

Normalmente, a cirurgia para retirar miomas consegue controlar os sintomas de dor e sangramento excessivo em 80% dos casos. Contudo, há casos em que a cirurgia pode não ser definitiva, com ressurgimento de um novo mioma em outro local do útero.

Por isso, a cirurgia para a retirada do útero é mais indicada ao invés de remover apenas o mioma. O médico pode ainda optar por realizar uma ablação do endométrio ou fazer uma embolização das artérias que estejam nutrindo os miomas. 

Recuperação e Possíveis riscos pós cirúrgicos

Normalmente, a recuperação após as cirurgias de miomectomia são rápidas, mas exigem repouso de pelo menos 1 semana para cicatrizar corretamente, além de evitar todo tipo de esforço físico nesse período. 

Os contatos sexuais só podem ser feitos 40 dias após a cirurgia para evitar dores e infecções. No caso de sintomas como mau cheiro na vagina, corrimento vaginal e sangramento muito intenso é preciso voltar ao médico. 

A cirurgia para tratamento dos miomas, quando realizada por um médico ginecologista experiente, raramente apresenta complicações graves pós cirúrgicas. Entretanto com qualquer cirurgia complicações como infecção da cicatriz cirúrgica ou infecções pélvicas bem como hemorragia interna podem ocorrer. 

Durante a cirurgia de miomectomia pode ocorrer hemorragia e a retirada do útero pode ser necessária. Além disso, a cicatriz no útero pode favorecer o rompimento uterino durante a gravidez ou no momento do parto, embora seja muito raro acontecer. 

Se a mulher está acima do peso, será preciso emagrecer antes de realizar a cirurgia abdominal para diminuir os riscos da cirurgia. Caso tenha alguns dos sintomas ous dúvidas sobre miomas uterinos procure sempre avalição médica especializada.